topo

Artigos

Dicas para executivos


Sempre elegante

Veja a sua dica para um homem estar sempre elegante, publicada em entrevista na Revista Shopping Centers.

“O que não tem erro: terno azul-marinho, camisa branca e gravata listrada que tenha, em uma das listras, o marinho. Elegante e certíssimo.
Outra coisa que os homens me perguntam sempre: a cor do cinto e a dos sapatos deve ser a mesma? Claro! Pode até não ser do mesmo couro, mas tem de ser da mesma cor.
E outra, um verdadeiro inferno na vida deles: as meias. O que combina com o quê? Uma dica absoluta: em hipótese alguma, nunca, jamais, use qualquer terno com meia branca.
E existem combinações infalíveis, como calça marinho, camisa branca, meias marinho, sapatos e cinto marrons. Uma beleza!”

Fonte: Gloria Kalil


Vestindo-se Bem no Trabalho

Não há nada errado em separar as roupas para sair das que você usa para trabalhar. Até porque, na maior parte das vezes, o guarda-roupa de lazer não é mesmo o mais apropriado para se usar no escritório. O problema é fazer essa seleção pensando na idade das peças. "Muita gente reserva as melhores roupas para o fim de semana e deixa as mais surradas para ir trabalhar", diz a consultora de imagem Ilana Berenholk. Resultado: estão sempre mal arrumadas no trabalho, o que é bem prejudicial para a carreira.
Quer um argumento definitivo para investir em seu guarda-roupa profissional? Dê uma olhada ao lado para ver o número médio de horas que você passa na empresa. Não se vestir com cuidado para ir trabalhar significa passar a maior parte do dia com sua competência embrulhada de qualquer jeito.

Fonte: Você S.A


Acertando no Terno

A roupa é parte fundamental na construção da imagem profissional. Se for usar terno, fique atento às dicas abaixo:
• O paletó deve cair perfeitamente nos ombros.
• As cores indicadas são bege e cinza para o dia, preto para a noite e azul-marinho para qualquer horário.
• O paletó deve acabar na altura da perna onde baterem as pontas dos dedos das mãos.
• Os ternos tradicionais são os de três botões. Os de dois e quatro botões e o clássico jaquetão entram e saem de moda antes que se possa perceber.
• O nome terno remete a um conjunto de três peças: paletó, colete e calça. A dobradinha calça e paletó, usada no dia-a-dia, é conhecida tradicionalmente como costume.

Fonte: André do Val, consultor de moda masculina do site chic.com.br


Uma Gravata Certa

A escolha de gravatas depende do estilo da pessoa e do seu tipo de trabalho: alguns preferem as tradicionais, lisas ou com estampas sérias; outros, menos convencionais, gostam de estampas, cores variadas ou personagens de desenho animado.
Apenas uma dica: use o seu bom senso e não exagere na informalidade. Deixe isso para quem trabalha com arte ou espetáculos, por exemplo.
Uma coisa, todavia, na gravata, não deve mudar nunca: seu comprimento. A ponta deve sempre estar à altura do furo do cinto. Evite a todo custo gravatas que vão quase até o cós da calça ou, o horrível oposto, param na altura do estômago.
Nos nossos quentes trópicos, a gravata não é um item obrigatório do vestuário, exceto em situações formais. Portanto, se tiver que fazer o sacrifício de usá-la, que seja como deve ser.

Fonte: 101 Dicas de Marketing Pessoal no Trabalho


Sapatos

O sapato, apesar de ser uma peça essencial na indumentária masculina e feminina, às vezes é negligenciado no uso cotidiano. Não é raro se ver uma pessoa com um sapato inadequado (em contraste com a roupa que veste) ou, o que é pior, com o sapato malcuidado. Aliás, o sapato malcuidado, arranhado ou sujo é, certamente, um fator de péssima recomendação para qualquer pretendente ou ocupante de cargo gerencial ou técnico.
O sapato adequado não precisa ser caro ou sofisticado, basta não ser flagrantemente destoante da roupa usada e, fundamental, deve estar bem cuidado (sobretudo limpo).
Dizem os especialistas no assunto que nenhum sapato, por questões de higiene, deve ser usado dois dias seguidos. Depois de usado, o sapato deve descansar em local arejado no mínimo por um dia. Por isso, é recomendável ter-se, pelo menos, dois pares, se possível de cores e/ou modelos diferentes para usar no trabalho.


Viajando a negócios

Quando um profissional viaja, ele se torna uma espécie de embaixador da empresa. É do tamanho desse título que fica a sua responsabilidade. Tudo o que fizer será usado contra ou a favor não apenas dele, pessoa física, mas também da empresa em que trabalha. Veja algumas dicas para essas ocasiões:
1. Defina bem a razão da viagem e o seu objetivo principal.
2. Informe-se sobre a empresa que está visitando (porte, faturamento anual, tempo no mercado).
3. Conheça os hábitos e os costumes da região a ser visitada.
4. Dê chance ao visitado para que mostre sua empresa, projetos e investimentos.
5. Mostre satisfação com a oportunidade da visita.
6. Seja pontual em todas as ocasiões. Não há justificativas para atrasos em viagens de negócios.
7. Seja simpático, mas não informal em excesso. Não fale nem pergunte sobre a vida pessoal de ninguém e não tente "pescar" informações confidenciais da empresa.

Fonte: Guia completo de etiqueta no trabalho, de Suzana Doblinski


O Cartão de Visitas

Fundamental no dia-a-dia de qualquer profissional, o cartão de visitas costuma ser negligenciado por muita gente — o que é um erro. O cartão é um item importante da imagem do profissional, pois ajuda a estabelecer um contato mais próximo com seu interlocutor, facilitando o relacionamento e, muitas vezes, viabilizando futuros contatos.
Desculpas como "meu cartão acabou" ou "esqueci no escritório" passam uma imagem de desleixo e falta de profissionalismo. Inspire-se no exemplo dos japoneses e chineses que valorizam tanto essa forma de contato que costumam receber os cartões de visita segurando-os com as duas mãos. Veja algumas dicas para não fazer feio na hora de entregá-lo ou recebê-lo:
1. Em um encontro de negócios, nunca se deve sair distribuindo cartões a torto e a direito. Deve-se entregar apenas a uma pessoa que se acabou de conhecer e que se tenha interesse em contatos futuros.
2. Se alguém lhe entregou um cartão de visitas, retribua com o mesmo gesto.
3. Ao receber um cartão, leia o que nele está escrito e se atenha ao nome da pessoa. Nada mais deselegante do que receber um cartão, guardá-lo no bolso sem ler e depois perguntar o nome do interlocutor.
4. Ao falar com um jornalista, dê a ele o seu cartão logo no começo da conversa para que o nome seja mencionado corretamente na matéria a ser publicada.
5. Se houver qualquer mudança nos seus dados pessoais — nome, endereço, número de telefone ou e-mail —, jogue fora seus cartões e mande fazer novos. Não rasure ou rabisque os antigos para aproveitá-los.
6. Não dobre a ponta do cartão. É um hábito antigo que caiu em desuso — hoje, aliás, é sinal de deselegância.

Fonte: Vida Pessoal


Em várias línguas

Um aperto de mão nos pequenos acordos e estouro de champanhe nas grandes negociações. Em todos os países do mundo, as pessoas comemoram um bom negócio fechado e, nesses tempos de globalização, é bom saber como se brinda nas diferentes culturas:
(1) Kâmpai: Japão;
(2) À la santé: França;
(3) Ma Zdrowie: Polônia;
(4) Prost: Alemanha;
(5) Hälsa: Suécia;
(6) Cin Cin: Itália;
(7) Kanpei: China;
(8) Nasdorovia: Rússia;
Cheers: Estados Unidos;
(9) Salud: Espanha;
(10) Skoal: Países Escandinavos;
(11) L’Chaim: Israel.

Fonte: Será que pega bem, de Suzana Doblinski


rodape
Desenvolvido por EmpresasVALE®