topo

Artigos

Formalidades e protocolos


Eventos oficiais, com a presença de autoridades do governo e das Forças Armadas e membros do Corpo Diplomático, são regidos por normas protocolares, muitas vezes desconhecidas pela maioria das pessoas. O protocolo oficial é regido pelo decreto nº 70.274, de 9 de março de 1972, e estabelece as precedências e o tratamento que deve ser dispensado aos convidados para eventos no Distrito Federal, nos estados e municípios, em decorrência do título e da função exercida.

Sempre que num evento for estar presente qualquer autoridade governamental, é importante consultar o protocolo oficial.

Nos atos inaugurais, Jubileus, entrega de condecorações, descerramentos de placas e aberturas de feiras, realizados com todos em pé, os membros mais destacados e convidados de honra são colocados segundo a ordem de precedências. Os demais devem aguardar para serem devidamente posicionados pelo staff que estiver organizando o evento.

Em eventos de auditório nunca se sente na primeira fileira de poltronas da platéia, pois ela é considerada um prolongamento da mesa de honra e poderá estar reservada para autoridades presentes ou retardatárias.

Consta do decreto que em eventos com a presença do Presidente da República e do Governador de Estado, todos os convidados devem chegar antes deles e só saírem depois que eles o fizerem.

Almoços e jantares não admitem que se enviem representantes - só o convidado deve comparecer ou recusar o convite formalmente.

A ordem de discursos e pronunciamentos será sempre inversa à de precedência, ficando a última palavra reservada à pessoa mais importante da solenidade.

Num documento ou contrato existe o lugar de honra para a assinatura: fica à direita do papel, e quem assina é a pessoa mais importante.

O lugar de honra em qualquer evento é o que fica à direita do anfitrião ou do executivo mais graduado. O segundo lugar de honra é o que fica à esquerda do anfitrião.

No aeroporto, quem desembarca em primeiro lugar numa comitiva é a pessoa mais importante. Ao embarcar, ela é a ultima pessoa a entrar no avião.

Em jatos particulares, os lugares virados para a frente e que possuem mesas são reservados aos executivos mais graduados. Os demais devem perguntar antes onde devem se sentar.

No carro guiado por um motorista particular a serviço do anfitrião, o lugar de honra é à direita, no banco de trás. Neste caso, quem entra primeiramente é o convidado; o anfitrião dá a volta e entra pela outra porta. Ao sair, quem desce primeiro é o anfitrião, e se o motorista não puder abrir a porta para o convidado, ele poderá fazê-lo.

Nas limusines, os menos graduados é que se sentarão nos lugares de costas para o fluxo. Se estiverem ocupados por executivos de maior hierarquia, os menos graduados irão na frente com o motorista. Nestes carros, o convidado descerá por último, após o motorista abrir a porta. Em veículos guiados pelo próprio executivo, o lugar de honra é na frente, ao seu lado.

A postura correta ao ser executado o Hino Nacional Brasileiro é respeitosa, portanto, devemos ficar em pé. Antigamente, o Hino só era aplaudido após ser tocado por uma orquestra sinfônica ou banda. Atualmente, virou moda aplaudir até execuções em CD... Mas saiba que esse procedimento não está mencionado nas modalidades legais de saudação ao nosso Hino. Cumpre também conhecer a letra e cantá-lo corretamente.

Se na solenidade a presença de convidados de outro país exigir a execução de hino estrangeiro, ele deve ser tocado antes do brasileiro. Postura de igual respeito é devida.

Havendo hasteada no recinto a bandeira nacional, aqueles que cantam o Hino devem fazer isso voltados à ela, nunca de costas.

Em elevadores, subindo ou descendo com autoridades, o correto é deixar que entrem primeiramente e fiquem na parte de trás. Chegando ao andar, os de menor hierarquia saem na frente, posicionando-se do lado de fora e aguardando que as autoridades passem à frente. Seguirão, então, atrás delas.

Obedeça sempre às recomendações de trajes assinaladas nos convites e nunca deixe de confirmar sua presença, quando o convite assim solicitar, geralmente com as siglas "RSVP" ou "RO".

Esteja também sempre presente ao lado de seus amigos e colegas de trabalho quando estes sofrerem perdas de entes queridos. Esta é uma parte importante dos relacionamentos sociais e profissionais.

Devem comparecer aos velórios somente os familiares, os amigos e colegas de trabalho mais próximos e pessoas ligadas à família do morto. Quem comparecer deve assinar o livro de presenças, colocando o nome bem legível, assim como o endereço. A família enlutada deverá enviar um cartão de agradecimento aos que lhes deram apoio nessa ocasião. Aqueles que mantinham relacionamento mais distante com o falecido ou com a família devem ir à missa de sétimo dia. Durante o velório, não é adequado ficar recordando passagens da vida do falecido e nem se deter em cumprimentos demorados com os parentes. Hoje em dia, nas grandes cidades, por temer assaltos, é de praxe fechar a câmara mortuária durante a madrugada - todos se retiram e voltam ao amanhecer. Havendo velório por toda a noite, os amigos e parentes devem se revezar, fazendo companhia à família e não deixando-a sozinha em horas mais tardias.

Para os funerais, valem os mesmos procedimentos adotados no velório. Os parentes carregam o ataúde e podem ser ajudados por amigos mais chegados. As saudações mais indicadas para estes momentos é "Meus sentimentos" ou "Lamento tanto!". Estas expressões vieram substituir o rígido e formal "Meus pêsames!". Quando não se tem intimidade com o falecido ou com a família, envia-se um telegrama de condolências.

A empresa deve dar toda assistência aos funcionários, principais fornecedores e clientes fiéis nessas ocasiões e, sempre que possível, enviar coroas.

É comum amigos se quotizarem para a publicação de anúncios nos obituários dos jornais.

A família não deve deixar de agradecer as manifestações recebidas por meio de um cartão, que traz uma tarja preta no alto, à esquerda.

Recomendamos, também, que as mulheres adotem uma vestimenta discreta, abrindo mão de qualquer detalhe mais chamativo na aparência. O luto é opcional hoje em dia, ficando mais restrito aos familiares.

Fonte: Ser bem educado é... Livro de Maria Aparecida A. Araújo


rodape
Desenvolvido por EmpresasVALE®